segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Quem sabe!?!


“Coisas abstratas não existem só o que é concreto é capaz de sobreviver ao vento...”

não, não é isso


“Coisas abstratas não resistem ao vento, só sobrevive o que é concreto...”

Não, ainda não é isso, não consigo encontrar as palavras certas para que se possa subentender o sentido que quero dar a frase. O botão de apagar já começa a ficar desgastado e meu desgaste começa a ficar visível aqui.
O problema é que sou persistente, a prova disso é que continuo a escrever coisas estranhas com as quais preencho uma parte do blog. Na internet se encontra cada coisa, talvez essa seja uma das 1.000 piores páginas de toda rede.
Ainda assim insisto em minha teoria, santos não existem, mas suas estátuas estão lá, e isso nem os seres mais céticos do mundo irão poder questionar. A questão é: como fazer com que você entenda exatamente o que eu quero dizer com isso? tenho medo de deixar a dedução por sua conta e assim presenciar mais tarde um discurso brilhante sendo cuspido por algum sábio fajuto que vomita exatamente o que eu falei só que de modo distorcido.
Penso nisso com mais e mais intensidade, mas me sinto meio perdido envolto a esse som de piano que toca os meus ouvidos nesse instante.
Tento ir afundo nesse balé de guindastes e em meio a este suave balanço encontrar o significado disso tudo, mas não adianta, a cada retorno tudo que trago desse mergulho são frases e mais frases perdidas que morrem ao tocar a superfície.
E se inundássemos todo o mundo com a água desses sonhos?
Ou se talvez conseguíssemos nos banhar com os sonhos desse mar?
Alguém aqui deveria vender sonhos, sonhos que fossem a prova de realidade. Poderíamos até quem sabe canalizar tudo e distribuir nas torneiras de todas as casas, e juntos assistiríamos tudo de cima dos guindastes, de um lugar onde se possa ver tudo sem precisar estar lá.
Talvez amanhã saia um anúncio no jornal
"Vende-se sonhos"
e nas letras pequenas esteja impressa
"Quando as coisas abstratas sobrevivem ao vento elas se tornam coisas concretas".

Quem sabe?...

3 comentários:

Haunted disse...

Mesmo na confusão do que é certo ou errado, do que é concreto ou abstrato, do que se da de bom grado ou se vende de forma mercenária, uma coisa é certa:
Não podemos abrir mão de sonhar...

Prefiro defender uma causa infundada do que não defender causa alguma!!!

Nilmar Barcelos disse...

Tas a falar de cocô?

fabricio disse...

Caramba... diz aí: O Haunted foi muito feliz no seu comentário. Acho que ele também eta de olho pra vê se consegue um post dele aqui.. neste Blog! E quer saber... vou tenatr também!

Texto muito bom!!!