quinta-feira, 14 de maio de 2009

(Sublime)


Movendo essas caixas de inutilidades, na qual, chamo-as de pensamentos...

Indo para algum lugar onde ninguém entende nada e nem fingem entender.

Ah! E assim, sigo a cair...

- Por favor! Por favor! Não leve isso contigo!

Seu futuro não será igual ao meu.

Posso estar sendo sublime...

Posso estar afogando em terra firme.

E quando chega o fim...

Apagando essa mente corroída com mercúrio e ácido sulfúrico.

Carregando minhas pilhérias, ''meu poste e meu tio Bill''.

Desmanchando minhas ruínas, até fazer minha página ficar em branco outra vez.

Ah! E os meus sonhos? Caem comigo...

- Por favor! Por favor! Não tente os reerguer de novo!

Não os leve contigo!

Posso estar sendo sublime...

Com uma arma apontada para minha cabeça, contra o meu próprio crime...

E quando é que chega o final?


Movendo essas caixas de inutilidades, na qual, chamo-as de pensamentos...

3 comentários:

Faccion® disse...

Costumo dizer que, 10% do que pensamos na verdade, traduzimos em palavras. Isso é porque estamos muito acostumados a querer agradar, moldados a uma só forma de se relacionar e se comunicar. Fazer o que...
O blog de vcs é que está ótimo, continuem assim!
bjos

Fabricio disse...

Tenho sido essa enorme caixa de inutilidades, ou pior, um relicário vazio sem perspectiva alguma de ser usado pra alguma coisa... e isso é bom... bom demais pra continuar vazio.

Abração... o.O

Arte Literária e Cultura disse...

Os pensamentos por si só são abstratos e transformados em concretos através da fala ou escrita. Neste ideal descobrimos estas dúvidas colocadas no blog. Quando uma determinada ação movida pelos pensamentos se tornam concretos.