sábado, 18 de julho de 2009

Formas Falsas


Ultima parada: esta cidade.

Desfarei as trilhas do trem, para me perder no caminho de volta...














(Se é que há volta... Se é que há caminho... Se é que há trem...)

3 comentários:

Arte Literária e Cultura disse...

Por menor que seja a fração da estrada existe um caminho mais ou menos traçado. Tudo desaguando no aqui/agora. Pois elementos do caminho são o acaso ou o caso de tal infabilidade de viver neste mundo. O que eu quero dizer: Esta frase do blog me lançou a esse divago sentimento. Abraços Marcos.

Faccion® disse...

Foda.

Ei, obrigada por estar sempre comentando meu blog, um prazer!

beijos mil.

Carlos, Alberto e a Oliveira. disse...

E o trem é a maior metáfora na minha vida como mineiro.