sábado, 18 de outubro de 2008

Luta singular

O exército de um homem só

Em uma guerra singular


Sem valores, sem armas


Auto ódio em punhos

Nenhuma gota de sangue será derramada

Aqui só haverá lágrimas

De quem partir e de quem ficar

Banharemos-nos com sua dor

Que se faça o sacrifício

Que morra o derrotado

Que o fluxo das águas nos leve para o lugar

Onde a vingança será conquistada

A luta acontece dentre as fronteiras imaginárias do ego

Lutemos mais uma vez em prol de novos limites

Façamo-nos homens guerreiros

Derrotemos o fracasso

Levantemos a bandeira da vitória

Derrotemos a nós mesmos.

Um comentário:

Fabricio disse...

Brother... depóis me passo o nome do maluco que escreve essas coisas. O rapaz é genial.

=]